quarta-feira, 30 de Março de 2011

Município mais novo da Bahia completa 11 anos hoje


O município de Barrocas, situado na região sisaleira da Bahia que antes pertencia a Serrinha, juntamente com o município de Luiz Eduardo Magalhães no Oeste da Bahia, foram os últimos a ganharem autonomia politico administrativa, cuja data histórica ocorreu em 30 de março de 2000.

A população barroquense vive a comemorar a emancipação um pouco diferente dos demais municípios, pois, esta conquista foi com muita luta, poderia está completando este ano, não hoje dia 30, mas em 15 de novembro 26 anos, ja que, na data da proclamação da república a população elegia seu primeiro prefeito João Olegário de Queiroz, tendo como seu vice Josemir Araújo Lopes. Mas em 31 de dezembro de 1988, foi pedida uma representação alegando inconstitucionalidade da Lei Estadual que emancipou Barrocas. A emancipação de Barrocas contrariou os interesses dos Municípios de Serrinha, Teofilândia e Araci. Diante disso, por intermédio de cinco eleitores, influenciados por políticos da região, pediram a anulação da Lei que criava o município. Julgada e deferida à solicitação de anulação, Barrocas voltou a condição de Distrito de Serrinha, após ter funcionado legalmente como município, com todos os direitos e deveres que lhe competiam, da data de sua emancipação até 31 de dezembro de 1988.

Conheça um pouco da história deste município que ‘sofreu’ pra chegar aonde chegou segundo relato do texto publicado no barrocas-bahia.blogspot.com

Comemorando o aniversário de Barrocas (30 de março), seria bom recordar algumas datas marcantes de sua história. Através de publicações e de relatos de pessoas mais antigas, sabemos que Barrocas teve origem com a passagem da estrada de ferro.

Antiga Maria fumaça.
Em 1880 o trem chegou a Serrinha e a estação ferroviária foi inaugurada, recebendo o nome de Rio Branco.

Em 19 de dezembro de 1853, pelo Decreto nº 1299 do mesmo ano, Joaquim Francisco obteve do Governo uma concessão para a construção de um trecho de estrada de ferro ligando Jequitaia – Aratu – Alagoinhas. Esta concessão foi renovada em 1855 em favor da Bahia and São Francisco Railway Company, sediada em Londres (Inglaterra). Esta Companhia construiu a ligação ferroviária entre Jiquitaia, Aratu e Alagoinhas, passando a explorar este primeiro trecho.

Em 1880 o trem chegou a Serrinha e a estação ferroviária foi inaugurada, recebendo o nome de Rio Branco. Em seguida, o Governo Geral assumiu e concluiu a construção da ferrovia até Juazeiro da Bahia.

No primeiro semestre de 1882, a construção da ferrovia chegou às terras da Fazenda Espera situada no município de Serrinha, de propriedade do senhor José Alves Campos, conhecido como José da Espera filho legitimo de Manoel Alves Campos e dona Ana Maria de Jesus. A residência do proprietário era localizada onde hoje é o sangradouro do açude, a uma distância de aproximadamente um quilômetro da estação.

No dia 11 de maio de 1882, José Alves Campos (José da Espera) casou-se com dona Felisberta Maria de Jesus. Ela era filha de Marcolina Maria de Jesus. ele era dono da Fazenda Espera.

Sinfrônio Alves de Queiroz é pai do atual vice-prefeito Joanizio
Em 1917, Sinfrônio Alves de Queiroz constroi sua residência em local privilegiado que avista todo o povoado; em 28 de novembro do mesmo ano, recebe em matrimônio D. Maria Madalena de Jesus (D. Mariquinha), tendo como celebrante o Padre Carlos Olympio Ribeiro.

Em 6 de março de 1920, Nasce João Olegário de Queiroz (Joãozinho de Sinfrônio), por vários mandatos, representante de Barrocas na Câmara de Vereadores de Serrinha e primeiro prefeito municipal de Barrocas.

Em 1925, em decorrência do desenvolvimento da estrada de ferro, veio da Fazenda “Os Afonsos”, o senhor João Afonso da Silva e se instalou em Barrocas, construindo a primeira casa residencial e comercial de secos e molhados. O terreno onde foi construída a casa foi comprado ao senhor Pedro Teles de Oliveira e sua esposa Alberta (Felisberta) e a Manoel Ferreira de Araújo.
Em 1928, duas escolas públicas foram instaladas em Barrocas por iniciativa do senhor João Afonso. A primeira na Casa dos Trinta tendo Áurea como a primeira professora; a segunda escola foi instalada na atual Avenida João Afonso, junto à casa de residência daquele cidadão, tendo como regente a professora Alice de Santa Tereza dos Anjos. (Foto ao lado: Professora Alice)

Em 1929, foi construída pelo senhor João Afonso uma capelinha no povoado, tendo como padroeiro São João Batista, santo de sua devoção. O terreno para construção foi doado verbalmente à Paróquia de Serrinha pelo próprio João Afonso.

Em 1935, o senhor Pedro Telles de Oliveira e sua esposa D. Alberta (Felisberta) Maria de Jesus doaram um terreno – com escritura pública datada de 24 de outubro de 1935 – para a construção de uma capela maior que oferecesse mais conforto aos fiéis. O comércio de Barrocas foi se desenvolvendo, a população aumentando, casas melhores foram sendo construídas, mas a capelinha lá estava, humilde, simples, já não comportava as pessoas que iam aos atos religiosos. A população precisava de um templo mais amplo para expressar sua fé e devoção. Dessa época também é a construção do cemitério. Junto com o terreno para a construção da igreja, o casal doou também meia tarefa de terra para a edificação do cemitério.

Em 1940 teve início a pequena feira livre de Barrocas, embaixo de uma árvore em frente à casa comercial do senhor Antônio Alves de Queiroz, onde se comercializavam cereais e produtos cultivados na zona rural, laranjas vindas de Alagoinhas; utensílios de barro: panelas, potes, aribés, frigideiras; objetos feitos de lata: candeeiros, chaleiras, canecos, papeiros; miudezas, doces e massas.

Em março de 1942, foi concluída a construção da nova capela, conservando São João Batista como padroeiro. Logo após a construção da nova capela (hoje Igreja Matriz), foram construídas casas, nas laterais da praça, em terrenos vendidos pelos respectivos donos, com o propósito de trazer os moradores da zona rural para próximo da estação e formar a zona urbana, a fim de incrementar o povoamento e o progresso.

Em 13 de maio de 1943, foi inaugurada a nova estação ferroviária de Barrocas. Posteriormente o nome Barrocas foi substituído pelo nome de Agenor de Freitas, em homenagem a um membro da família do então Diretor da VFFLB, Dr. Lauro Farani Pedreira de Freitas.

Em 30 de janeiro de 1951, o senhor Joaquim Otaviano de Oliveira foi eleito como primeiro representante de Barrocas na Câmara Municipal,.

Nos pleitos seguintes, foram eleitos outros representantes: José Ezequiel de Barros, João Olegário de Queiroz, Roque Avelino de Queiroz, José Edilson de Lima Ferreira, Joseval Ferreira da Mota e Roque Avelino de Queiroz.

A partir de 1953, o senhor José Martins fundou a Igreja Batista e, em seguida, começaram a surgir outras denominações religiosas evangélicas em Barrocas e um Salão do Reino das Testemunhas de Jeová.

Entre os anos 1955 e 1959, gestão do prefeito de Serrinha Oriosvaldo Bispo dos Santos, tem início o calçamento das primeiras ruas de Barrocas.

No período entre 1959 e 1963 Quando João Olegário foi eleito vereador pela primeira vez e sendo prefeito de Serrinha o Dr. Carlos de Freitas Mota, foi inaugurado um gerador de força motriz onde hoje está a Agência do Banco do Brasil S/A.

Em 8 de outubro de 1967, foi inaugurada a rede elétrica de Paulo Afonso que já havia chegado a Teofilândia e de lá puxada para Barrocas. O senhor Francisco Ferreira Alves (Francisquinho) teve papel importante para que essa energia chegasse a Barrocas.

Em 16 de abril de 1984, Criou-se a Associação do Desenvolvimento de Barrocas. A primeira diretoria foi composta por: Joseval Ferreira Mota – Presidente; Antônio Carlos de Oliveira Queiroz – vice-presidente; Raymundo Luiz de Queiroz – Secretário; José Alves de Queiroz Neto – Tesoureiro. Todo o benéfico vindo do FUNDEC para Barrocas foi por intermédio dessa Associação.

Em 1985, é instalado em Barrocas o Posto Avançado do Banco do Brasil, conseguido por intermédio do FUNDEC.

Em 9 de maio de 1985, em força da Lei Estadual nº 4.444 desse mesmo ano, Barrocas foi emancipada.

Em 15 de novembro de 1985, o senhor João Olegário de Queiroz foi eleito Prefeito Municipal da nova cidade de Barrocas, tendo como seu vice o senhor Josemir Araújo Lopes.

Em 31 de dezembro de 1988, foi pedida uma representação alegando inconstitucionalidade da Lei Estadual que emancipou Barrocas. A emancipação de Barrocas contrariou os interesses dos Municípios de Serrinha, Teofilândia e Araci. Diante disso, por intermédio de cinco eleitores, influenciados por políticos da região, pediram a anulação da Lei que criava o município. Julgada e deferida a solicitação de anulação, Barrocas voltou a condição de Distrito de Serrinha, após ter funcionado legalmente como município, com todos os direitos e deveres que lhe competiam, da data de sua emancipação até 31 de dezembro de 1988.

Momento mais triste da nossa história, lideranças de Serrinha recolhe móveis da antiga prefeitura de Barrocas

Em 8 de dezembro de 1996, O bispo diocesano de Feira de Santana, Dom Itamar Vian, criou a Paróquia de São João Batista de Barrocas, desmembrando-a da Paróquia de Serrinha. O padre Carlos Palácio Morale foi empossado como o primeiro administrador paroquial.

No dia 30 de março de 2000 foi aprovada, por unanimidade, a Lei Estadual nº 7.620 e sancionada pelo Governo do Estado, recriando o Município de Barrocas. Esta vitória foi alcançada graças aos esforços dos políticos do “Grupo Barrocas Livre” e a participação decisiva do Deputado Estadual Vespasiano Santos e com o mérito do Senador Antônio Carlos Magalhães. *O Padre Carlos Palácios, juntamente com a população barroquense teve papel crucial na reemancipação política de Barrocas. No plebicito o povo foi às urnas e votou pela reemancipação.

Em 01 de outubro de 2000, José Edílson de Lima Ferreira, foi eleito prefeito municipal de Barrocas, tendo como vice Joseval Ferreira Mota.

Em 01 de janeiro de 2001, José Edilson toma posse como novo prefeito.

Em 3 de outubro de 2004, José Edilson é reeleito prefeito municipal de Barrocas, tendo como vice Joseval Ferreira Mota.


Em 5 de setembro de 2005, foi fundado o informativo impresso intitulado JORNAL@NOSSA VOZ – BARROCAS-BAHIA. Uma criação de Rubenilson Nogueira e sua equipe.

Em 22 de agosto de 2007, João Gonçalves Pereira Neto e Tiago de Assis Batista lançam seu livro “BARROCAS, uma filha da estrada de ferro”.

Em 26 de abril de 2009, falece João Olegário de Queiroz, cidadão de destaque em Barrocas pela sua luta pelo seu desenvolvimento e libertação. Foi o primeiro prefeito municipal.


Em 01 de janeiro de 2010, José Almir Araújo Queiroz (Almir de Maciel) tomou posse como prefeito municipal de Barrocas, tendo como vice em sua chapa, João da Mata Queiroz (Joanísio). (Foto ao lado: Diplomação do novo prefio e vereadores).


No dia 17 de Fevereiro de 2010, foi a criado o blog http://jornalanossavoz.blogspot.com/. Outra iniciativa ousada e feliz de Rubenilson Nogueira e sua equipe. Desde a primeira matéria publicada até hoje, esta página vem sendo um sucesso, ultrapassando as fronteiras do município, do estado e do país.

No dia 30 de março de 2010, a população de Barrocas comemorou os 10 anos de emancipação política da cidade. Celebração religiosa em ação de graças, manifestações cívicas, culturais e recreativas marcaram o dia.
Em 5 de fevereiro de 2011, João Gonçalves Pereira Neto e Tiago de Assis Batista lançam seu segundo livro “BARROCAS – BAHIA: Origens, Fazendas, pessoas, Política e Fatos que a história não contou”.

*Textos incluídos pela redação Jornal @ Nossa Voz.

Texto: Tiago de Assis Batista
Fotos: Arquivo Pessoal João Neto, Tiago - Arquivo Jornal @ Nossa Voz
Texto abertura: Calila Notícias.
Fonte:http://barrocasbahistoria.blogspot.com

Sem comentários:

Enviar um comentário